Categoria: Notícias

Lançamentos

Lançamentos

Três belos livros acabaram de sair do forno..

O primeiro constitui uma adaptação, bastante ampliada, do artigo “Genesis and Classification of Rocks” de autoria de Lorenzo Lazzarini, constante do documento de estudos da UNESCO intitulado “The Deterioration and Conservation of Stone”, dirigido a especialistas em restauração de monumentos antigos.
O segundo mostra que o ser humano tenta descobrir-se a si mesmo! – Qual a razão de minha existência? De onde venho? Para onde vou? Como explicar minha inserção na natureza? Como surgiu a natureza? São essas questões que mais cedo ou mais tarde vêm-nos à mente, e para as quais procuramos explicações!
O terceiro é o resultado de uma compilação de dados de interesse para a iniciação de estudos pelos interessados em melhor conhecer as maravilhas da Criação que são encontradas em toda a natureza que proveio das mãos de um onisciente Criador todo poderoso.

Read More

Fenômenos Astronômicos Incrementam o Céu de Abril

Marte distante, mas extremamente brilhante, e Lua em eclipse total serão grandes espetáculos do mês.

 

O JC e-mail 4927, de 4 de abril de 2014, divulgou a notícia com o título e subtítulo acima, que segue transcrita.

Para os amantes da astronomia, o mês de abril traz boas surpresas. Logo no início do mês, o planeta Marte estará em sua distância mínima da Terra, fenômeno que acontece a cada dois anos, aproximadamente.

Segundo o astrônomo Jair Barroso, do Observatório Nacional, mesmo longe, o planeta vermelho poderá ser observado sem utilização de qualquer instrumento. Ele explica que, no dia 8 de abril próximo, Marte estará em oposição ao Sol e alinhado com a Terra. “Poderá ser visto a olho nu desde o começo da noite ao leste, ou seja, no nascente. Estará ‘perto’ (angularmente) da estrela Espiga (ou Spica) da constelação da Virgem”, diz.

“A distância entre os planetas será de 93 milhões de quilômetros. E o seu brilho ‘rivalizará’ com o da estrela Sirius do Cão Maior, a mais brilhante do céu noturno” – diz.

Outro fenômeno instigante do mês acontecerá no dia 15: o eclipse total da Lua. Barroso diz que sua visibilidade será ampla, mas irá favorecer os locais situados mais para o oeste do Brasil e do continente, principalmente quanto à sua parte final.

Read More

Brasileiros descobrem asteroide com anéis semelhantes aos de Saturno

Brasileiros descobrem asteroide com anéis semelhantes aos de Saturno

Chariklo tem 250 km de diâmetro, vive entre as órbitas de Saturno e Urano, e é o primeiro objeto “não planeta” com anéis descoberto até agora no sistema solar

Pergunta para o próximo vestibular: Imagine um objeto redondo, que gira em torno do Sol e está rodeado de anéis. Que objeto é esse?

A) Júpiter; B) Saturno; C) Urano; D) Netuno; E) Um asteroide do qual você nunca ouviu falar; F) Todas as alternativas anteriores estão corretas.

Acredite se quiser, mas a resposta certa, a partir de hoje, é F.

O nome do tal asteroide do qual você (provavelmente) nunca ouviu falar é Chariklo. Ele tem 250 km de diâmetro, vive entre as órbitas de Saturno e Urano, e é o primeiro objeto “não planeta” com anéis descoberto até agora no sistema solar, segundo um estudo internacional liderado por brasileiros e publicado na última edição da revista Nature.

Read More

Tempo Bom

Artigo de Paulo Nobre e Marcelo Seluchi publicado na Folha de São Paulo. 

Não podemos mais dizer que não sabíamos que combustíveis fósseis e desflorestamento reforçam a ocorrência de eventos climáticos extremos.

 

Dias de céu azul, sol forte e temperatura elevada são comumente percebidos como “tempo bom”, pelo menos em locais onde a chuva é abundante. Será?

 

Experiência rara, o Sudeste do Brasil experimentou nesse verão de 2014 período de estiagem prolongado e calor extremo, gerando uma das mais severas anomalias climáticas registrada na região desde o início dos registros instrumentais, em meados do século passado.

 

Esta se deveu ao estabelecimento de uma intensa, persistente e anômala área de alta pressão atmosférica nos altos níveis da atmosfera sobre o oceano Atlântico, nas proximidades da região Sudeste.

 

O ar mais “pesado” inibiu o levantamento do ar desde a superfície, necessário para a formação das nuvens de chuva. Assim, o descenso do ar mais denso desde os altos níveis da atmosfera ocasionou a dissipação da nebulosidade e o aumento da insolação solar, que por sua vez provocou um aumento progressivo das temperaturas.

Read More
Loading